Notícias

15.09.2021

Manuelly Meu Milagre

“Nossa história já começa com um milagre, eu tinha muita dificuldade em engravidar, depois de muita luta, engravidamos de gêmeas e perdemos. Depois de muito remédio, tratamentos, lutas, engravidamos novamente de duas meninas, quase perdemos elas por duas vezes, fomos até a igreja e os pastores oraram por nós.

A gestação estava tranquila, com 23 semanas, comecei a ter contrações e tive sepse (uma infecção séria), o médico neonatal que atendeu disse que elas não sobreviveriam, com essa idade gestacional o pulmão não está formado, assim como outros órgãos que estão em formação e que era até considerado aborto.

Por conta da sepse, o médico disse ao meu esposo para escolher entre mim e nossas filhas, se elas sobrevivessem. Para nossa surpresa, no dia em que elas nasceram, mudou o plantão de neonatologista e a médica que estava conosco era cristã, acreditando na vida e dizendo que tudo iria ficar bem.

Depois de mais de 24 horas em trabalho de parto, Mayse nasceu primeiro, foi entubada, estava com infecção e depois de nove dias o Senhor escolheu recolhê-la. Manuelly nasceu, pesando 495 gramas e 27 cm, também foi entubada e já no início da vida teve várias complicações, chegando a pesar 540 gramas.

Com menos de quinze dias Manu teve que fazer uma cirurgia de coração, ele estava mandando sangue para os pulmões, piorando o quadro respiratório, após a cirurgia ela teve um problema nos rins, devido a anestesia. Em todo o tempo, os médicos diziam que ela não aguentaria e se aguentasse ficaria com muitas sequelas, o canal do ouvido ainda não tinha se formado, não sabíamos se ela iria conseguir escutar.

Após isso, ela teve alergia a proteína do leite e não aceitava mais meu leite, teve sangramento intestinal, fez cinco transfusões sanguíneas, teve retinopatia nos dois olhos (um problema que causa cegueira em bebês prematuros). Ela passou por mais uma cirurgia, o médico oftalmologista dizia que mesmo com cirurgia ela ficaria cega, como ela nasceu antes do tempo, não tinha reserva de cálcio e seus ossos ficaram muito fracos.
Cheguei um dia para visitá-la e a médica disse que eu não poderia abrir a incubadora e colocar a mão nela, senão seus ossos se quebrariam. Com o passar do tempo, ela foi melhorando e ganhando peso, por conta da prematuridade extrema, ela tinha um refluxo muito grande e necessitava de mais uma cirurgia.

Nesse tempo ela já tinha sido desentubada e estava respirando sozinha, foi outro milagre, porque eles diziam que se ela não respirasse sozinha teria que fazer uma traqueostomia. Ela permaneceu 175 dias na UTI, depois de muita luta, choro, oração, jejum, campanhas e também alegria, Manuelly teve alta e foi para casa.

O único órgão que ela não teve complicações foi o cérebro e hoje ela não tem sequela neurológica, ela ouve muito bem, enxerga muito bem, os rins funcionam perfeitamente, não tem problemas nos ossos, já começou a introdução alimentar e o desenvolvimento motor está dentro da idade correta para ela e não necessita mais do oxigênio.

Hoje sabemos que tudo tem um propósito, que pessoas mesmo sem saberem, através de Jesus, são usadas para abençoar a vida da Manu. Sabemos que Deus está conosco a todo tempo e que vocês possam crer, através desse testemunho e da vida dela, que Deus faz milagres sim!”

(Relato da mamãe Mariane, enviado em 2019)

Compartilhe esta história

Histórias Reais

Veja histórias por:

Receba as novidades

Assine nossa newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no universo da prematuridade.