• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Novo produto ajuda prematuros a sentir as batidas do coração da mãe

21/09/2014


Notícia original publicada em 18 de setembro de 2014.

por Clara Caldeira

[caption id="attachment_15002" align="alignright" width="300"]O foco do equipamento é ajudar o prematuro a não perder a relação física e emocional com as mães enquanto estão nas UTIs. (Foto: Divulgação) O foco do equipamento é ajudar o prematuro a não perder a relação física e emocional com as mães enquanto estão nas UTIs. (Foto: Divulgação)[/caption]

Milhões de bebês nascem prematuramente todo ano, e a maioria deles precisa passar as primeiras semanas em isolamento antes de poder ir para casa. Nesse meio tempo, eles perdem a vital conexão física e emocional com as mães, que podem vê-los poucas horas por dia. Pensando nisso, um time de especialistas desenvolveu o Babybe, um sistema que reproduz os batimentos cardíacos das mães em uma espécie de colchão para os bebês que estão na incubadora.

A ideia do Babybe é tornar a experiência o mais real possível e, para isso, é composto por três partes. A primeira, chamada de “tartaruga”, é uma almofada com sensores que as mães seguram para registrar o batimento cardíaco, os movimentos peitorais e a respiração. O dispositivo é conectado com um colchão biônico, feito de material que imita a pele humana e simula sensações táteis registradas pela tartaruga, e colocado na incubadora, por baixo do bebê. Há, também, um módulo que coleta as informações da tartaruga e pode ser usado para controlar sons, sendo como uma terapia auditiva baseada nos movimentos da mãe, segundo o site Springwise, responsável por coletar boas ideias de negócios ao redor do mundo.

De acordo com os criadores do produto, o toque e os movimentos da mãe são fundamentais para que o pós-natal do bebê seja menos estressante e para estimular o crescimento e o desenvolvimento do cérebro. Agora, mesmo que através de uma nova tecnologia, as gestantes têm a oportunidade de estreitar os laços físicos e afetivos com os filhos que nasceram prematuros.

O vídeo abaixo mostra detalhes da tecnologia (em inglês):

Fonte: Springwise, Catraca Livre e Estadão


  • TAGS

Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se