• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Vacinas: adultos que cuidam de crianças também precisam tomar!

27/06/2011


     Olá, bom dia!

     É... parece que o frio voltou com tudo aqui no Sul!

     Importante se agasalhar bem e, já que estamos em época de vacinação, imprescindível estar estar em dia com as vacinas. E isso vale não só para os pequenos, bem pequeninos como nossos little preemies, bem como para os bebês nascidos a termos e... nós: pais, cuidadores, familiares que lidamos com as crianças no dia-a-dia!

     Achei interessante este texto de perguntas e respostas sobre a importância da vacina em quem lida com bebês e decidi passar adiante. Espero que gostem e que seja útil!

     Um beijo e boa semana a todos,


     Denise.


     "Embora sejam mais comuns na infância, viroses como catapora, sarampo, rubéola, caxumba e hepatite A também acometem os mais velhos, que podem tanto transmiti-las às crianças como contraí-las. Por isso, adultos que mantêm contato com bebês têm um motivo a mais para estar com a carteira de vacinação em dia. A blindagem imunológica vale para babás, avós, tios, professores e, claro, os próprios pais.





Quais as viroses típicas da infância que os adultos também podem contrair? Pessoas que não foram vacinadas, ou nunca tiveram contato com uma ou mais viroses típicas da infância, correm o risco de contrair varicela (catapora), sarampo, rubéola, caxumba e hepatite A, além de gripe.



Por que os adultos que cuidam de crianças devem se vacinar contra esses vírus? Todo adulto deve estar com a vacinação em dia. E aqueles que convivem com bebês têm um motivo a mais para se vacinar. É que a criança só completa a vacinação básica por volta dos 4 anos de idade, quando recebe as doses de reforço de varicela e tríplice viral (sarampo, rubéola, caxumba). Antes disso, mesmo imunizada, ela pode se infectar se entrar em contato com uma pessoa doente. No caso da hepatite A, a vacinação só está completa no segundo ano de vida do bebê – desde que a primeira dose seja dada logo após o primeiro aniversário. O risco é ainda maior entre os prematuros, que têm mais chances de apresentar complicações ao contrair essas viroses, sobretudo nos primeiros seis meses de vida.

Qual a diferença dos efeitos das doenças na criança e no adulto? Essas infecções podem se apresentar de forma mais grave no adulto, em comparação com a criança. Isso acontece porque a resposta imunológica do adulto a essas doenças é mais intensa, principalmente no caso da catapora, do sarampo e da hepatite A.

Quais as características e a gravidade de cada uma delas no adulto? A catapora se caracteriza basicamente por erupções generalizadas na pele. É rara em adultos, mas pode ser grave, levando até à pneumonia. O sarampo deixou de ser uma doença perigosa no Brasil por causa da vacinação. Também provoca erupções e manchas na pele, entre outros sintomas. São esporádicos os casos em adultos. A rubéola é uma doença com progressão benigna, ou seja, pouco perigosa. Deixa marcas no corpo. Seu principal risco é a infecção durante a gestação, que pode levar a problemas sérios, como aborto, parto prematuro e malformação. Já a caxumba, caracterizada principalmente pelo inchaço das glândulas parótidas – que ficam entre a orelha e a face –, pode ocasionalmente provocar danos mais sérios nos homens, como inflamação nos testículos (orquite) e até a perda de fertilidade. A hepatite A costuma ser mais sintomática no adulto, tanto no início da doença, com febre, mal-estar e desconforto abdominal, entre outros efeitos, como no final, com iceterícia (olhos amarelados).

Quem já se vacinou na infância precisa tomar reforço com que periodicidade?Caso o cartão de vacinas indique duas doses para tríplice viral, varicela (catapora) e hepatite A, não há a necessidade de reforço. Mas é importante checar se as duas doses foram realmente aplicadas, uma vez que o programa brasileiro de vacinação não tem 40 anos de existência. A vacina da catapora, por exemplo, só foi disponibilizada na rede privada há menos de duas décadas e ainda não está na rede pública. Seja como for, muitos adultos, principalmente com mais de 40 anos, se tornaram imunes a doenças como sarampo, rubéola, caxumba, catapora e hepatite A ao ter contato com o vírus na infância.

Quais outras vacinas os adultos devem tomar? Adultos devem tomar dose única de vacina contra meningococo C, reforço da tríplice bacteriana, tipo adulto (difteria, tétano e coqueluche - dpaT) e a imunização contra influenza anual conjugada (H1N1 + influenza sazonal). A gripe e a coqueluche são particularmente perigosas para bebês muito pequenos, em especial recém-nascidos.

Antes da imunização, é preciso fazer algum exame?Mulheres que pretendem engravidar devem fazer exame de sangue com sorologia para verificar sua imunidade contra rubéola, doença que pode comprometer o desenvolvimento do feto. A sorologia para hepatite A também pode ser feita por qualquer um, embora a vacinação não acarrete nenhum problema em quem já é imune. No caso de sarampo e caxumba, pode-se comprovar a presença do vírus, por sorologia, ou a imunidade, por vacina. Já no caso da catapora, somente o médico da família ou o cartão de vacinas pode confirmar a imunidade. Agora, para quem não tem carteira de vacinação, está em dúvida se teve ou não as doenças e perdeu contato com seus médicos da infância, a recomendação é fazer a vacinação completa."





Fonte: http://bebe.abril.com.br/familia/sermae/adulto-precisa-tomar-vacina.php


  • TAGS

Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se