• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Por que a doença do filho de Felipe Andreoli é um perigo

04/04/2017 felipe-andreoli-e-filho-bebe

A notícia é sobre o vírus sincicial respiratório, conhecido como VSR e principal causador da bronquiolite. Pelo fato dos prematuros geralmente apresentam imunidade mais baixa, a prematuridade é o principal fator de risco para hospitalização por bronquiolite e por isso temos várias publicações em nosso site sobre o assunto, especialmente nas épocas de maior incidência, tendo inclusive já feito um texto esse ano com dicas sobre como evitar o vírus. Em nosso hotsite, você pode encontrar todas as informações completas.

Rafa Brites, apresentadora da Rede Globo, desabafou em seu Instagram sobre a internação de seu filho, Rocco, com o também apresentador Felipe Andreoli. O bebê, de pouco mais de 1 mês de idade, ficou seis dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de uma maternidade do Rio de Janeiro, após ter sido infectado pelo vírus sincicial respiratório (VSR).

O VSR é o principal agente infeccioso da população infantil, causador de doenças como bronquiolite e pneumonia, e representa um perigo principalmente para bebês prematuros e criança de até dois anos de idade com problemas cardíacos ou pulmonares.

Em pessoas mais velhas, o vírus causa sintomas semelhantes a um resfriado comum, mas, em crianças pequenas ou do grupo de risco, pode causar infecções respiratórias mais graves devido à maior sensibilidade dos pulmões e um sistema imunológico suscetível. Os primeiros sintomas são nariz escorrendo, garganta avermelhada e tosse, seguido de dificuldade para respirar e chiado no peito. Recusa na hora de comer, vômitos e irritação também podem sinalizar a doença, já que estão relacionados à falta de ar.

Como é uma doença viral, não há tratamento para mudar seu curso. É preciso esperar a defesa do próprio organismo combater o invasor. Enquanto isso, é possível aliviar os sintomas com a administração de antitérmico em casos de febre, oxigênio e inalação para aliviar o peito e muita hidratação. Durante o “período” da doença, que tem duração média de uma semana a dez dias, a criança precisa ficar em observação em casa ou, em casos mais graves, no hospital.

Vírus sazonal

O vírus circula principalmente nas regiões sul e sudeste durante o outono e inverno (de março a setembro) e a principal forma de prevenção é evitar o contato com pessoas doentes, lavar bem as mãos e manter os ambientes ventilados – o contágio acontece ao respirar em ambientes contaminados ou no contato com secreções de doentes. Especialistas recomendam também a manutenção do aleitamento materno, que além de manter o bebê hidratado e alimentado, é importante para o fortalecimento do sistema imunológico dos bebês.

Há também um tratamento preventivo, similar à vacina, que evita a hospitalização em 70% dos casos. Trata-se de um anticorpo monoclonal, o palivizumabe. Crianças em condições especiais de debilidade imunológica e prematuros (até 28 semanas gestacionais), podem receber vacinas especiais gratuitamente nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (Cries), espalhados nas principais cidades brasileiras.

Rafa aproveitou a oportunidade para alertar pais e mães sobre o perigo do vírus com a seguinte mensagem: “PS: atenção papais redobrem o cuidado nessa época do ano VSR vírus sincicial respiratório. Álcool em gel em tudo. Máscara em quem estiver com algum sintomas. Evitar lugares fechados. Vale darem um Google para se informarem melhor.”

Fonte da notícia: Veja (notícia original publicada em 27/03/17)
(Foto: Felipe Andreoli/Instagram/Reprodução)



Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se