• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Paraná disponibiliza vacina Palivizumabe para bebês prematuros

06/05/2014 palivizumabesynagis-300x199

O governo do Paraná instituiu oito polos de aplicação do medicamento Palivizumabe no Estado. O palivizumabe é indicado para o tratamento preventivo contra infecções pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR) em bebês prematuros, com cardiopatia congênita ou doença pulmonar crônica da prematuridade de acordo com protocolo nacional.

A distribuição do palivizumabe é de responsabilidade do governo federal, conforme portaria nº 53/2012 do Ministério da Saúde. No entanto, o Governo do Paraná vai disponibilizar imediatamente as doses enquanto aguarda o envio do lote a que o Estado tem direito pelo Ministério da Saúde.

A Secretaria da Saúde já instruiu as equipes das regionais quanto à solicitação, distribuição e dispensação do medicamento que foi incorporado ao Sistema Único de Saúde (SUS).

"Todos os pedidos protocolados nas regionais de saúde serão encaminhados ao Centro de Medicamentos do Paraná para análise e os pacientes que atenderem os critérios de inclusão serão agendados para receber a aplicação em um dos oito polos", disse a superintendente de Atenção à Saúde da Secretaria da Saúde, Márcia Huçulak.

A superintendente explica que quem prescreve o medicamento é médico assistente da criança, que deve fazer o pedido mediante formulário específico disponível nas farmácias das regionais, que será avaliado pelo médico auditor.

Os polos de aplicação estão sendo estruturados em Campo Largo, Curitiba, Ponta Grossa, Francisco Beltrão, Cascavel, Maringá, Londrina e Foz do Iguaçu. Eles ficarão responsáveis pela aplicação segura e otimização das doses do medicamento, já que um frasco pode atender até três crianças. Todas as doses aplicadas deverão ser registradas na caderneta de vacinação da criança.

O medicamento será aplicado entre abril e agosto, assegurando aos bebês a proteção no período de maior circulação do vírus sincicial no Paraná.

*Nota: Isso acontece após pais lutarem para garantir a vacina aos bebês prematuros no Estado, segundo informa o mesmo veículo dessa notícia.

Prevenção

"Independente da criança ter a indicação do palivizumabe, os pais ou responsáveis devem ter cuidados redobrados com os recém-nascidos, garantindo uma ventilação adequada dos ambientes, evitando aglomerações e visitas constantes, principalmente se o bebê estiver doente, e lavando as mãos frequentemente", explica a pediatra Iolanda Maria Novadzki.

Veja quem tem direito a receber uma ou mais doses do palivizumabe, de acordo com o protocolo do Ministério da Saúde:

- Crianças menores de um ano de idade que nasceram prematuras, com idade gestacional menor ou igual a 28 semanas.

- Crianças menores de dois anos de idade, com doença pulmonar crônica da prematuridade.

- Crianças menores de dois anos de idade com doença cardíaca congênita, com repercussão hemodinâmica demonstrada.

Confira os documentos necessários:

- Solicitação de dose hospitalar – Hospital com UTI Neonatal:

- Formulário Específico para Solicitação, Avaliação e Autorização de Palivizumabe

- Relatório médico legível, com justificativa da solicitação, assinado pelo médico assistente;

- Receituário médico.

- Solicitação de dose ambulatorial:

- Formulário Específico para Solicitação, Avaliação e Autorização de Palivizumabe

- Relatório médico legível, com justificativa da solicitação, assinado pelo médico assistente;

- Receituário médico;

Observação: Pacientes com cardiopatia congênita: descrever no relatório médico o tipo da cardiopatia congênita, os medicamentos utilizados e anexar cópia do laudo do ecocardiograma;

Cópia dos seguintes documentos: certidão de nascimento; comprovante de residência e Cartão SUS.

Fonte: O Diário e Paraná Online (Notícia original publicada em 05 de maio de 2014)



Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se