• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Os 3 principais desafios na arte de cuidar de um prematuro

13/08/2012


Texto elaborado por uma especialista no assunto, super objetivo e esclarecedor sobre o follow up (acompanhamento pós-alta) dos prematuros. São recomendações válidas de um profissional da área, mas lembrem de sempre consultar o pediatra do seu bebê antes de mais nada, ok?


"Os três desafios principais do cuidado de um bebê prematuro são:

1) sobrevivência

2) diminuição de sequelas imediatas; e

3) promover uma boa qualidade de vida no longo prazo.

A sobrevivência dos bebês prematuros tem crescido muito, acompanhando os avanços tecnológicos na área perinatal, com a melhora dos recursos diagnósticos, terapêuticos e de cuidados hospitalares.

Abaixo, descrevo alguns aspectos que devem ser considerados na adequada transição do hospital para o lar.

O prematuro não é um recém-nascido deficiente, nem mesmo um feto. É um ser único, que funciona adequadamente dentro dos limites de seu estágio de desenvolvimento, num processo contínuo de interação e adaptação do organismo ao meio ambiente. Os programas de estimulação dos quais os prematuros participam devem ser oferecidos por profissionais experientes e no momento adequado.

A decisão e o planejamento da alta hospitalar são baseados com relação à saúde do bebê e ao treinamento da família. Ainda na UTI, os familiares devem ser bem orientados em relação a vários aspectos: cuidados básicos, posicionamento antirrefluxo, vacinação, alimentação e acompanhamento médico futuro (avaliação auditiva e visual, hematológica, neurológica, etc).

O programa de follow up do prematuro deve ser realizado por uma equipe multiprofissional experiente. O objetivo principal desse programa é a monitorização do crescimento e do desenvolvimento da criança. Dessa forma, pode-se identificar precocemente situações de desvio da normalidade, o que permite uma intervenção precoce e de maior resultado.

Profissionais que compõe a equipe multidisciplinar:

- Pediatra Neonatologista

- Fonoaudióloga

- Fisioterapeuta

- Oftalmologista

- Terapeuta ocupacional

- Neurologista Pediátrico

- Nutricionista*

Como deve ser feito o acompanhamento pediátrico do prematuro?

A primeira consulta deve ser realizada cerca de 1 semana após a alta hospitalar, de forma a se avaliar a adaptação do prematuro ao lar. As próximas consultas são marcadas a cada 15 dias no primeiro semestre e mensalmente do 7o ao 18o mês de vida. Posteriormente, as consultas deverão ser anuais.

Alguns lembretes importantes!

- Com 4 meses de idade pós natal, os prematuros devem ser avaliados por um Neurologista Pediátrico.

- Com 3 anos de idade, deve-se avaliar a função cognitiva e a linguagem da criança.

- Aos 4 anos, caso o prematuro não tenha atingido a estatura das crianças da mesma idade, o mesmo deve ser avaliado por um Endocrinologista Pediátrico.

- Nas idades de 5 e 8 anos, deve-se avaliar o desempenho escolar da criança.

- O esquema de vacinação do prematuro é um pouco diferente em relação a algumas vacinas, como por exemplo no caso das vacinas contra hepatite B contra o vírus respiratório sincicial.

- Para se avaliar o crescimento e o desenvolvimento neuromotor, leva-se em conta a idade corrigida, ou seja, a idade contada após a criança atingir a “40a semana de gestação”.

- As avaliações auditivas e oftalmológicas devem ser realizadas logo após a alta e no final do primeiro e segundo anos de vida.

- O treinamento de retirada de fraldas deve ser baseado na idade corrigida e não na idade cronológica.

- Os bebês prematuros, principalmente aqueles que apresentaram restrição do crescimento intrauterino, são mais propícios a desenvolverem hérnia inguinal com indicação cirúrgica.

- O uso de complexo vitamínico e de ferro são muito importantes para se prevenir anemia e deficiências vitamínicas. Os prematuros não possuem reservas desses nutrientes por terem nascido antes do tempo.

Conclusão:

A assistência especial requerida pelo prematuro não se limita à UTI. A alta é a primeira batalha vencida. Assim, é fundamental que todo criança prematura seja acompanhada por uma equipe multiprofissional adequada."

Dra. Denise Brasileiro, pediatra na Clínica Mon Petit, Minas Gerais

(Fonte: http://www.clinicamonpetit.com.br/blog/)

* Não constava no texto original. Achamos importante acrescentar, pois a participação do nutricionista no acompanhamento do prematuro, assim como a dos outros profissionais, é essencial! :o)


  • TAGS

Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se