• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

O bebê "PIG" (Pequeno para a Idade Gestacional)

07/11/2011


     "Um recém-nascido (prematuro, a termo ou pósmaturo) que é menor que o normal para o tempo que permaneceu no interior do útero é considerado pequeno para a idade gestacional (PIG).


     Um recém-nascido pode ser pequeno ao nascimento devido a fatores hereditários (pais pequenos ou um distúrbio genético) ou de um mau funcionamento da placenta, com a provisão de uma quantidade insuficiente de nutrientes e de oxigênio ao feto). A placenta pode ter funcionado mal pelo fato da mãe apresentar hipertensão arterial, uma doença renal ou um diabetes crônico durante a gestação. As mães com adição a narcóticos ou à cocaína, fazem uso abusivo de bebidas alcoólicas ou que são tabagistas também tendem a gerar crianças pequenas para a idade gestacional. Menos comumente, a infecção materna ou fetal pelo citomegalovírus, pelo vírus da rubéola ou pelo Toxoplasma gondii interfere no crescimento fetal.
Apesar de seu tamanho, os lactentes pequenos para a idade gestacional geralmente parecem- se e comportam-se de modo muito semelhante aos lactentes de tamanho normal com a mesma idade gestacional. Ao contrário de um recém-nascido prematuro, o pequeno para a idade gestacional que chegou ao termo apresenta os órgãos internos completamente desenvolvidos. Quando o crescimento do lactente foi retardado por causa de uma nutrição inadequada intra-uterina, o seu crescimento pode ser rapidamente recuperado após o parto quando lhe é provida uma nutrição adequada.
Um feto que cresceu lentamente devido a uma má função placentária pode não receber uma quantidade adequada de oxigênio durante o trabalho de parto. Durante cada contração, as artérias da mãe que nutrem a placenta são comprimidas ao passarem através da parede uterina e, conseqüentemente, o fluxo sangüíneo através desses vasos é menor. No caso da função placentária ser limítrofe antes do parto, o menor suprimento sangüíneo durante o trabalho de parto pode comprometer o suprimento de oxigênio e acarretar lesão fetal. Normalmente, a freqüência cardíaca fetal diminui durante as contrações do trabalho de parto. Uma freqüência cardíaca que demora para voltar ao normal (aceleração tardia) ou que não varia quando o feto se move sugere um suprimento inadequado de oxigênio. Quando existem evidências de sofrimento fetal, o parto deve ser realizado rapidamente, freqüentemente através de uma cesariana.
Um concepto privado de oxigênio durante o trabalho de parto pode eliminar o mecônio (evacuação antes do nascimento) no líquido amniótico. Quando ele aspira o líquido contendo o mecônio, seus pulmões são comprometidos. O mecônio pode obstruir alguns brônquios, provocando o colapso de áreas pulmonares. O mecônio aspirado para os pulmões também pode causar inflamação ou pneumonite. Ambos os problemas comprometem a função pulmonar.


     Como o recém-nascido pós-maturo, o pequeno para a idade gestacional tem uma maior propensão a apresentar concentração sérica baixa de açúcar (glicose), uma condição denominada hipoglicemia, nas primeiras horas ou dias após o parto, pois ele ainda não armazenou muita glicose durante a gestação."

     Clique aqui e leia mais sobre hipoglicemia em prematuros.



      Fonte: http://mmspf.msdonline.com.br/pacientes/manual_merck/secao_23/cap_252.html#section_3



  • TAGS

Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se