• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Millena, minha guerreira

23/01/2018 Millena.

"Minha gravidez transcorria super bem, até que na ultrassonografia morfológica, com 24 semanas de gestação, descobrimos que minha bebê estava com RCIU (restrição do crescimento intra-uterino). Não conseguimos descobrir a causa dessa restrição, pois todos os exames deram normais. Passamos a acompanhar a gravidez mais de perto e a monitorar nossa bebê através da ultra com Doppler a cada 15 dias, pois ela poderia entrar em sofrimento fetal.

Conseguimos seguir com a gravidez até 33 semanas, quando entrei em trabalho de parto. A Millena nasceu dia 16/03/2017, às 18:25, de parto normal, pesando 1,850kg. Precisou de suporte para respirar. Entre UTI Neonatal, berçário e quarto, ficamos 23 dias no hospital. O carinho dos médicos e das enfermeiras tornaram nossos dias melhores. Passava o dia no hospital e isso amenizava a dor de ter que deixá-la ali sozinha naquela incubadora. Ela era tão pequenininha, tão indefesa! Saber que todos os dias precisavam furá-la para encontrar um acesso venoso para os exames de laboratório partia o meu coração. Minha vontade era pegar a Millena no colo e a tirar dali para que não sofresse mais.

O dia da alta foi de muita alegria! Levamos ela pra casa com todos os cuidados. Por orientações da pediatra, proibímos visitas e não podíamos frequentar locais fechados e aglomerados. Decidimos por permanecer em casa até que a Millena recebesse as vacinas e estivesse mais forte para entrar em contato com o mundo. Porém, o mano frequentava a creche. Tínhamos todo cuidado de higienizar as mãos, dar banho nele logo que chegasse em casa, mas esses cuidados não foram suficientes. Depois de 10 dias em casa, a Millena pegou um vírus do irmão, que a deixou debilitada. Ela precisou ser internada às pressas e, com 2 dias internada, foi transferida para a UTI. Ela teve bronquiolite causada pelo VSR, o vírus sincicial respiratório. Foram dias angustiantes, pois, por ser prematura, a situação acabou complicando. Mas minha baixinha é guerreira e depois de 15 dias recebemos alta.

Ela tem APLV (alergia a proteína do leite de vaca), e dificuldade em ganhar peso. Hoje ela está com 10 meses, pesa 5,7kg e mede 66cm. Ainda é um cisquinho, tem tamanho e peso de bebê de 3 meses. Mas é super esperta, risonha e simpática. A prematuridade nos trouxe amigos que levaremos pro resto da vida. Desde amiguinhos de incubadora até as enfermeiras que demonstraram todo amor pela profissão através do carinho com que cuidaram da minha pequena. A Millena é pequenina só no tamanho, mas ela é forte como um leão. É uma guerreira, uma lutadora. As mamães e papais que estão passando por isso, só tenho a dizer confiem. Confiem em Deus, na equipe médica, nos profissionais da UTI Neo. E dêem muito colo e amor. Ah, o amor, esse faz milagres nas vidas dos nossos pequenos guerreiros!"

(relato da mamãe Keila Alves de Melo da Silva, enviado em 2018)



Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se