• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Lorena, meu milagre

11/12/2018 Lorena.

Olá, meu nome é Fabíola e tenho dois filhos, o Gabriel com 12 anos e agora minha guerreira Lorena. Quando meu filho estava com 2 anos, eu fiquei grávida novamente e a alegria tomou conta da minha casa novamente. Era uma princesinha, a Júlia Maria que, infelizmente, Deus a quis por perto e levou prematuramente numa gestação de 22 semanas. A minha bolsa rompeu e ela nasceu de parto normal, pesando 700 gramas, ficando em nosso mundo por apenas 24 horas.

Começou aí uma longa e angustiante história de que alguma coisa estava faltando em nossas vidas e em nossa casa. Eu queria muito outro bebê, quando, no ano seguinte, fui diagnosticada com Leucemia Mielóide Crônica. Virou-se para mim e para o meu tratamento todas as atenções, mas a vontade de ter um outro bebê permanecia firme em minha mente e eu não aceitava o fato de que devido ao meu tratamento eu não conseguiria engravidar. Tomo até hoje um remédio chamado Glivec, um quimioterápico para que eu consiga levar meus exames sempre inalterados e minha vida normal.

Como para Deus nada é impossível, eu engravidei, contra a vontade dos médicos. Claro que pensavam em mim, devido ao fato de eu não poder tomar meu medicamento durante a gestação. Foram meses difíceis e tensos, minha medicação foi trocada por injeções de Interferon, e, mais uma vez, era uma princesinha que Deus nos presenteava, a Lorena!

Quando eu estava com 32 semanas, a minha bolsa rompeu e minha filha veio ao nosso mundo com 1,790kg e 48cm, ficando 12 dias na UTI neonatal, onde fomos muito bem cuidados na Santa Casa da minha cidade, Ourinhos (SP), e mais 10 dias no berçário até chegar aos esperados 2kg para irmos para casa. Não pude amamentar para voltar a tomar o meu medicamento. Mas, graças a Deus, eu e minha filha estamos muito bem e nossa família completa. Hoje nossa guerreirinha prematura linda é a alegria da casa! Só posso dizer que quando se tem fé e um Deus que nos cuida, alcançamos qualquer sonho. Obrigada! 

(relato da mamãe Fabíola Trombini Damiani Fernandes, enviado em 2018)



Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se