• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Carta para a minha filha no dia da sua alta

02/03/2018 Pamela e Julia.

Na madrugada do dia 03/08/2016 papai me levou ao hospital porque eu achava que estava com cólicas. Achei que me dariam um remédio e voltaria para casa uma hora depois. Mas as cólicas na verdade eram contrações e eu já estava com 5cm de dilatação. Tentaram inibir o parto com medicações, mas mesmo assim, poucas horas depois, você nasceu. No dia 03/08/2016 às 10h13 você nasceu prematuramente 3 meses antes do previsto, medindo 38cm e pesando 1,110kg.

Você nasceu feto e permaneceu feto por um bom tempo. Você não chorou nem veio pro meu colo. Você não respirava. Só consegui te ver rapidamente enquanto te levavam correndo pra UTI pra te salvarem. Não tivemos visitas alegres na maternidade, não tivemos quadro com seu nome na porta, não tivemos lembrancinhas anunciando a sua chegada.

Dizem que a maternidade é um mundo novo. Mas não imaginava que esse mundo novo envolveria uma UTI.

Dizem que parir dói, mas o que dói mesmo é ir pra casa sem você nos braços nem na barriga.

Dizem que amamentar é difícil. Mas difícil mesmo é tirar leite na bomba pra você receber pela sonda.

Dizem que um bebê em casa nos privaria de noites de sono. Mas um bebê na UTI tira, além do sono, o descanso, o sossego, a sanidade. Nos tira o poder de Mãe. Porque só podemos olhar e rezar pela sobrevivência. Sua e minha.

Nada me doeu tanto quanto te ver na UTI cheia de aparelhos, fios, tubos, sondas, cateteres e agulhas. Você passou por muitas coisas, muito mais do que um adulto deveria passar por uma vida inteira... anóxia, broncoaspiração, displasia broncopulmonar, broncoespasmo, atelectasias, hemorragia intracraniana grau 3, crises convulsivas, 3 PICCs, 2 flebotomias, enterocolite necrosante com retirada de 20cm do intestino, gastrostomia, plaquetopenia, 4 cirurgias e mais de 30 transfusões.

Cada dia foi uma luta, um infarto! Mas cada dia foi um milagre, uma vitória! Minha pitica, você já nasceu guerreira e me ensinou a ser uma também! Eu sei que demorei a aprender. Como diz uma grande amiga, tive que tirar força do útero. No nosso caso, de um útero vazio antes do tempo. Achei que eu não fosse aguentar, quase enlouqueci. Mas eu continuei por você, minha filha. Por você e pelo seu pai, que foi minha luz nos longos dias de sombra! Continuamos, lutamos e vencemos!!! Obrigada, Deus, por não ter me abandonado, mesmo nos dias em que eu abandonei a fé!

E no dia 04/02/2017, após longos 186 dias internada na UTI, finalmente você recebeu alta, medindo 54,2cm e pesando 4,605kg, e nós renascemos! Seja bem-vinda, minha filha! Você mudou nossa vida, nossos sonhos e nossas prioridades!

Escrito por Pamela Ishiki Gallo, mãe da Julia.

Texto enviado para o Concurso Cultural Vida de Prematuro. Para votar neste texto e apoiar a ONG para receber o prêmio, acesse aqui. 


  • TAGS

Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se