• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

As vitórias de Valentina

30/03/2018 Valentina.

"Envio abaixo meu relato para encorajar outros pais de prematuros a não desistirem e nem fazerem da prematuridade um problema em suas vidas. Sei o quanto difícil pode ser, mas não podemos desanimar jamais.

Em 2015, engravidei, tudo corria bem até que com 6 meses de gestação tive complicações e foi necessária uma cesárea de emergência. Tive pré-eclâmpsia e Síndrome de Hellp. Minha bebê nasceu prematura extrema de 26 semanas, com 800 gramas e 33 cm. Foram longos 6 meses de UTI Neonatal até a alta em junho de 2016. Em julho, voltamos para o hospital para colocação da gastrostomia.

Fomos para casa com home care, pois a Valentina ainda usava cateter de oxigênio, tinha sessões de fisioterapia motora e respiratória todos os dias e de fonoaudióloga três vezes por semana. Foram tempos difíceis, muito difíceis que ficaram para trás.

Em fevereiro deste ano, com 1 ano e 2 meses de idade cronológica, o pediatra liberou as viagens e lá fomos nos fazer o primeiro teste, a tão sonhada e planejada primeira viagem em família. Decidimos ir para Buenos Aires, primeiro pelas limitações dela (alimentação via gastrostomia – sem previsão de retirada) e pela distância (moramos em Porto Alegre 1h10min de viagem até BUE), pois não sabíamos como ela reagiria a tantas situações diferentes do cotidiano dela.

A viagem foi simplesmente perfeita e melhor do que imaginávamos. A Valentina se comportou muito bem, saíamos pela manhã para passear e voltávamos para o hotel no horário das refeições dela que são administradas na gastrostomia.

Espero, com este relato, ajudar outros pais de prematuros a não perderem a fé e a esperança por mais difícil que a situação possa parecer.

Acreditem sempre, pois é possível sim, viver e vencer a prematuridade.

(relato da mamãe Danielle Carrão, enviado em 2017)



Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se