• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

A vitória da doce Manuela

28/01/2018 Manuela.

"Acompanho a página e sempre me emociono muito com todas as histórias, quase sempre contando tudo o que vivemos também. Hoje resolvi contar um pouquinho da nossa própria!

Tive uma gestação tranquila, nunca tinha passado pela minha cabeça ter um bebê prematuro. Foi então em que, com 33 semanas e 4 dias, que fui até a emergência, pois estava com uma cólica um pouco mais forte. Chegando lá, foi verificado minha pressão e estava 16×10, sendo que sempre tive a pressão muito baixa. Fizemos ecografia e viram que minha filha estava bem, porém com peso um pouquinho abaixo para a idade gestacional. Ao checar os resultados dos exames, a Dra. do plantão me deu a melhor e ao mesmo tempo a pior notícia: íamos ter que fazer o parto naquele momento, pois minha plaquetas estavam muito diminuídas e o risco de um descolamento de placenta ou algo pior era muito grande. Fui diagnosticada com Síndrome de Hellp. Eu não tinha noção do quão grave era minha situação, pois não tinha sintoma nenhum. Eu tinha engordado apenas 6kg, não tinha nenhum histórico famíliar de hipertensão e até então estava me sentindo bem. Logo após a notícia, eu comecei a tremer muito, pois não estava preparada para aquele momento. Acho que nenhuma mãe está. Eu saí de casa para ser medicada para uma simples cólica, normal na gestação, e foi essa decisão que salvou minha vida e da minha filha.

Então, Manu chegou com 1,695kg e 43 cm. Não pude ver o rostinho dela, a sensação foi de como tivessem a arrancado de mim. E, a partir daí, começamos a viver um lindo e angustiante capítulo de nossas vidas na CTI Neonatal. Pude ir vê-la só após 48h e não fazia ideia do quão pequena era. Quando o tão esperando encontro aconteceu, não pude segurar as lágrimas! Ver aquele pedacinho de gente ali tão indefesa, mas tão valente, lutando pela sua vidinha, foi o momento mais emocionante da minha vida.

Foram 23 dias de CTI que transformaram minha vida, e, desde então, não tem um dia sequer que não agradeça pela vida da minha filha. Hoje vê-la sorrindo, querendo conversar e desenvolvendo tão bem são as maiores alegrias que a vida vem me proporcionando! Ter um bebê prematuro não é fácil, é um mundo cheio de dúvidas e incertezas, e com uma eterna culpa que só as mães sentem. Minha Manuela hoje está com 2 meses e 24 dias e muito saudável!"

(relato da mamãe Silvana Lima, enviado em 2017)



Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se