• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

5 motivos pelos quais os bebês prematuros são tão incríveis

26/11/2014 prematuroincrivel

Falar de bebês prematuros é geralmente um assunto triste, e com razão. O nascimento prematuro é uma grande preocupação para a saúde pública – afetando aproximadamente 1 em cada 9 bebês que nascem nos Estados Unidos todo ano - sendo uma condição que apresenta riscos à saúde tanto a curto quanto a longo prazo. Médicos e pesquisadores têm se empenhado bastante para entender as causas do nascimento prematuro, mas ainda há muito que eles não entendem sobre a razão de alguns bebês nascerem antes do tempo e o que pode ser feito para prevenir que isso aconteça.

Considerando esse cenário, é fácil perder de vista o quanto esses bebês prematuros lutam para sobreviver e viver bem – independente de nascerem pouco antes de 37 semanas de gestação, ou mesmo meses antes.

"Sem dúvida, os nossos resultados têm melhorado à medida que a tecnologia tem avançado”, disse Dr. Edward McCabe, médico chefe da organização March of Dimes. "Mas os bebês prematuros são incrivelmente fortes e resilientes”. Para celebrar esse fato e aproveitar que novembro é o Mês de Sensibilização Para A Prematuridade, leia a seguir cinco maneiras em que os bebês prematuros são simplesmente incríveis.

1) Quando saem do hospital, crescem rapidamente.

prematuroincrivel1

"Pense em um bebê com 24 ou 25 semanas, que nasce com 500 gramas – e com certeza esses não são os menores bebês que já vimos”, disse a Dra. Stephanie Merhar, uma neonatologista do hospital infantil de Cincinnati. "Quando finalmente saem da UTI Neonatal e estão prontos para ir para casa, já pesam seis vezes mais que isso, geralmente. Aumentar seis vezes o peso… isso é muito impressionante”.

Considerando os muitos obstáculos que os bebês prematuros enfrentam, incluindo dificuldades para sugar, respirar e engolir, isso é mais impressionante ainda. Os bebês menores e mais novinhos são alimentados intravenosamente ou através de uma sonda, até que consigam se alimentar de uma mamadeira ou dos seios da mãe.

"Há vinte anos, não tínhamos a capacidade de alimentar um bebê através de uma veia”, disse Merhar, “e a grande maioria dos bebês com 24 ou 25 semanas receberão alimentação dessa forma. Não é tão bom quanto se estivessem no útero, claro, mas ajuda bastante os bebês a crescerem e receberem os nutrientes que receberiam através da placenta”.

2) O cérebro do prematuro deixa de ser liso e se desenvolve…

prematuroincrivel2

"Quando um bebê nasce com 24, 25, 26 semanas, o cérebro é praticamente totalmente liso – se olharmos as imagens do cérebro de um prematuro – comparado com o cérebro de um bebê que nasce no tempo certo”, disse Merhar. “Mas quando finalmente deixam a UTI Neonatal, você consegue ver as dobras e curvas”.

"O córtex, a superfície do cérebro deve mudar, deixando de parecer como um grão de café para parecer mais como uma noz, quando o feto está no útero”, explica a BBC. Mas o cérebro de um bebê prematuro precisa trabalhar ainda mais para se desenvolver depois que eles nascem.

É claro que as lesões cerebrais também são muito comuns em bebês prematuros e continuam sendo um dos maiores riscos que eles enfrentam. No entanto, "os resultados estão realmente -- pelo menos para as deficiências mais graves -- melhorando", disse Dr. Kousiki Patra, especialista em neonatologia do hospital Rush University Medical Center em Chicago.

3) ... E os seus pulmões se transformam totalmente.

prematuroincrivel3

"O desenvolvimento pulmonar [de um prematuro] passa por várias fases”, explicou Merhar. Dependendo de quando eles nascem, os prematuros podem nascer sem alvéolos, que são importantes saquinhos de ar dentro dos pulmões.

"Quando alguns deles nascem, os pulmões estão só começando a se desdobrar”, ela acrescentou. “Ainda são só tubos vazios”.

O desenvolvimento da terapia com surfactante pulmonar exógeno, introduzida no começo da década de 90, tem melhorado muito os resultados, reduzindo pela metade o número de mortes causadas pela síndrome da angústia respiratória (SARA) em bebês prematuros, segundo dados da March of Dimes. O surfactante pulmonar é uma mistura viscosa de gordura e proteínas, fabricada pelos pulmões, que ajuda a prevenir o colapso dos alvéolos – e muitos bebês prematuros nascem antes dos pulmões produzirem essa substância. Outros precisam usar aparelhos respiratórios ou um CPAP, aparelho que mantém a pressão contínua nas vias aéreas, que ajudam enquanto os pulmões tem a árdua tarefa de continuar se desenvolvendo fora do útero.

4) Eles reconhecem as vozes dos pais (e melhoram por causa disso).

prematuroincrivel4

"Sabemos que a partir da vigésima semana de gestação os bebês reconhecem a voz da mãe”, disse Patra – e isso é verdade quando estão fora do útero também. É comum observar mudanças na frequência cardíaca dos bebês ou vê-los virando em direção aos pais quando estão falando, mostrando que eles os reconhecem, ela afirmou.

"Na UTI Neonatal, encorajamos os pais a conversarem com os seus bebês, a cantar para eles. Essa prática não só acalma o bebê, mas pesquisas mostram que pode ajudar no desenvolvimento do cérebro. A voz maternal e especificamente o canto da mãe pode ajudar os bebês a se alimentarem mais rápido”. De fato, pesquisas mostram que a musicoterapia, incluindo cantigas de ninar cantadas pelos pais, pode melhorar os hábitos de sono e alimentação dos bebês e os seus sinais vitais também.

5) O desenvolvimento continua de maneira significativa muito depois da estadia na UTI Neonatal.

prematuroincrivel5

Os pais de bebês prematuros conhecem bem o conceito da ‘idade corrigida’ – que é calculada subtraindo o número de semanas que o bebê nasceu antes de completar 40 semanas de gestação, da sua idade cronológica. Essa idade geralmente é usada para avaliar o desenvolvimento do bebê. Muitos médicos e especialistas continuam a usar a idade corrigida da criança por vários anos.

"Podemos desenvolver inúmeras tecnologias, equipamentos e aparelhos respiratórios para ajudar a tratar os bebês na UTI Neonatal, mas os resultados também estão bastante relacionados ao que os pais fazem após a alta” disse Patra. Isso inclui cantar e ler para os filhos, dar uma alimentação saudável a eles e garantir que participem frequentemente de qualquer tipo de fisioterapia que foi prescrita”.

Fisicamente, os bebês prematuros também continuam a desenvolver de maneira impressionante. “Muitos passam por períodos incríveis de crescimento, tentando compensar o tempo perdido, que para muitos acontece durante o primeiro ano de vida”, disse Patra. “Quando você vê o bebê, nem imagina que nasceu prematuro”.

Fonte: Brasil Post

Notícia original publicada em 14 de novembro de 2014 (por Catherine Pearson, do The Huffington Post)


  • TAGS

Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se