• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

1 em cada 5 pais de bebês prematuros consideram suicídio

25/11/2016 neonatal_646x323

Quase 1 em cada 5 pais de bebês prematuros considerou o suícido, de acordo com uma nova publicação da organização Little Miracles UK, uma das maiores organizações inglesas de apoio a pais de bebês nascidos prematuros ou doentes.

A notícia coincidiu com o Dia Mundial da Prematuridade, comemorado em 17 de novembro, e o "Little Miracles Parent Mental Health Report" (Relatório da Saúde Mental dos Pais da Little Miracles), que apurou aspectos e opiniões de 338 pais de bebês que nasceram prematuros ou doentes no Reino Unido. 

O relatório também revela que aproximadamente 60% dos pais realmente se preocupou sobre falar sobre seus problemas de saúde mental para seu médico. Apenas um pai realmente comentou sobre a falta de apoio e negatividade.

Quase 50% confessou mentir a equipe do hospital quando eles perguntavam sobre como estavam se sentindo, com um pai citando que eles tinham "medo de que se fosse dito que não soubessem lidar, a criança seria levada deles".

Outro fator de preocupação é que quase 40% sentiu que eles não podiam falar com seu parceiro sobre como se sentiam, com um pai falando que "Me disseram para parar de lamentar e que eu seria um lixo de mãe se eu não soubesse como lidar com as coisas nesse momento".

O ponto alto do relatório é o fato de que a saúde mental dos pais continua sendo algo negligenciado, e que não está está havendo suporte o suficiente para pais de bebês que nascem doentes ou prematuros.

Enquanto a prioridade deve sempre ser o bebê recém-nascido, as enfermarias neonatais devem também ser um lugar onde os pais se sentiam confortáveis para discutir todas as suas preocupações e seus sentimentos, tanto físicos quanto mentais. E o médico que cuida dessa área deve ser alguém que os pais sintam-se à vontade para discutir suas preocupações.

Preocupantemente, a apenas 5,64% dos pais é oferecido suporte de saúde psicológica após o nascimento do seu bebê. Sem surpresas, quase 95% sentiu que não existia suporte psicológico suficiente disponível pelo Serviço Nacional de Saúde inglês no hospital após o nascimento do seu bebê prematuro.

Marsha Davis, presidente executiva e fundadora da Little Miracles UK disse que "quando questionados sobre como estão se sentindo, muitos apenas respondem simplesmente que estão bem. Talvez seja hora de criar um ambiente em que as pessoas sejam encorajadas a serem honestas, simplesmente dizendo a verdade. E dizer apenas que não estão bem". 

O relatório recomenda que deve inicial ter uma avaliação da condição de saúde mental de todos os pais, com um acompanhamento contínuo nos casos em que seja necessário. Também sugere-se que os pais devem também ter um suporte completo, porque estudos recentes mostram que eles podem tanto sofrer de Transtorno de Estresse Pós-Traumático Pós-Parto (TEPTPP) quanto as mães.

Marsha acrescente que são "em torno de 90 mil prematuros ou bebês doentes nascidos a cada ano. Então, se a cada 1 de 5 pais dizem que consideram suícidio, não é um problema pequeno que possa ser ignorado. As pessoas precisam agir, e precisam agir agora".

Ela conclui que "como mãe de quatro bebês que nasceram prematuramente, eu estou ciente de como é difícil esse momento e como o Governo precisa fazer algo". Ela continua dizendo: "O melhor resultado possível para qualquer UTI Neo é que o bebê saia o mais saudável o possível, com seus pais com o melhor estado de espírito possível para cuidar dele". 

Clique aqui para ler o "Relatório da Saúde Mental dos Pais da Little Miracles 2016" completo.

Fonte da notícia: SATSUMA (notícia original publicada em 17/11/16). Foto: The Mother Baby Center



Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se