• Parceiros oficiais:
  • Efcni
  • March of Dimes
Arraste para navegar

Alergia à Proteína do Leite

dairy

A alergia ao leite de vaca (APLV) é uma reação alérgica às proteínas presentes no leite de vaca ou em seus derivados. Isso ocorre, porque assim que os bebês nascem, seu intestino ainda está imaturo e a ingestão dessas proteínas pode iniciar um processo de inflamação no aparelho digestivo. A alergia ao leite de vaca atinge cerca de 5% dos bebês e crianças com menos de 3 anos, já os adultos, raramente têm a doença.

Os sintomas mais comuns são: diarréia, prisão de ventre, irritabilidade, refluxo, vômitos, vermelhidão na pele, perda de peso, chiado, entre outros.

O diagnóstico da alergia ao leite de vaca é feito por meio da observação dos sintomas. Alguns exames podem ajudar, porém a única maneira de saber se a criança tem ou não alergia ao leite de vaca é fazer uma dieta de exclusão do leite de vaca e seus derivados por um período mínimo de 4 semanas.

Atenção! Somente o médico está capacitado para diagnosticar a alergia ao leite de vaca. Juntamente com ele, o nutricionista poderá prescrever a dieta correta para que o bebê não tenha problemas de desenvolvimento e crescimento por falta de nutrientes.

A APLV ocorre em bebês e organismo reage às proteínas do leite como se fosse uma substância estranha, causando sintomas de pele (vermelhidão, coceira, empipocamento), gástricos e intestinais (diarréia com sangue ou não, vômito, cólicas intensas), respiratórios (asma, rinite, chiado no peito) e até anafilaxia (coceira no corpo, fechamento da garganta e dificuldade de respirar). Qualquer quantidade desta proteína do leite é suficiente para desencadear os sintomas, portanto é necessário retirar da dieta o leite, seus derivados e todos os alimentos preparados com leite (bolos, tortas, biscoitos, etc).

Na intolerância à lactose, entretanto há a falta ou diminuição na produção de lactase, enzima que digere a lactose (açúcar do leite). Ela é comum em pessoas com inflamação do intestino, após um quadro de diarréia forte, ou em pessoas que fizeram alguma cirurgia no trato digestório (esôfago, estômago e intestino) e em idosos.

Neste caso os sintomas apresentados são apenas gastrintestinais como: diarréia, cólica, gazes e distensão abdominal (empachamento). A pessoa jamais manifestará sintomas de pele, nem respiratórios, como ocorrem nos processos alérgicos, pois o sistema imunológico (de defesa) não é envolvido.

A intolerância à lactose é dose dependente, ou seja, o aparecimento dos sintomas depende da quantidade de lactose ingerida e a quantidade tolerada varia de pessoa para pessoa. De uma maneira geral, não é tolerado o leite, que pode ser substituído pelo leite de baixa lactose ou bebida à base de soja. Os derivados (iogurte e queijo) e preparações com leite, por terem um menor teor de lactose, são normalmente bem tolerados.

Tratamento da APLV

O tratamento da alergia ao leite de vaca é a exclusão do leite, derivados e todos os alimentos que contêm leite da dieta. Às vezes, o médico pode prescrever alguns medicamentos para diminuir os sintomas, mas eles não garantem a cura da alergia."

A mãe que amamenta deverá seguir a dieta como o bebê, retirando o leite, derivados de leite e todos os alimentos preparados com leite da alimentação. São proibidos os seguintes alimentos:

    • Achocolatado com leite em pó
    • Leite condensado
    • Bebida láctea
    • Leite evaporado
    • Biscoitos e bolachas com leite
    • Leite de cabra
    • Bolos e pães com leite
    • Leite fermentado
    • Cereais com leite
    • Leite fluído, leite em pó
    • Chantilly
    • Leite integral ou desnatado
    • Chocolate (com leite ou ao leite)
    • Leite semi-desnatado
    • Coalhada
    • Leite maltado
    • Composto lácteo
    • Manteiga, margarina com leite
    • Creme azedo, creme de leite
    • Molho branco
    • Doce de leite
    • Petit Suisse
    • “Ëngrossantes”com leite
    • Queijos (todos), queijo ralado
    • Fórmula infantil a base de leite
    • Queijo de cabra
    • Iogurtes
    • Sorvete com leite

Para mais informações sobre ingredientes proibidos, receitas, histórias, dicas, notícias, recomendamos o site www.alergiaaoleitedevaca.com.br

Fonte: alergiaaoleitedevaca.com.br


  • TAGS

Tem um bebê
prematuro?

Preencha nossos cadastro e ajude
a direcionar as ações da nossa ONG

Cadastre-se